terça-feira, 23 de julho de 2013

E ai, Casou? - A Crise dos Trinta


Por: Marcelo Montebras

"E ai, casou?... Já ta na hora, você vai acabar ficando pra titio"

Creio que nada incomoda mais que essa pergunta cretina quando você esta se aproximando da casa dos trinta (ou já esta nela). 

Embora a sociedade tenha evoluído, a pressão social em relação ao casamento, constituição de família e estabilidade financeira continua a mesma... É uma tradição que não será quebrada de uma hora pra outra. 

Nessa fase onde o "30" se torna constante, você querendo ou não, gostando ou não, aceitando ou não, acaba sentindo o peso da cobrança social em cima das suas costas. Quantas e quantas pessoas não entram em depressão porque estão se aproximando dos 30 e ainda não possuem um emprego, ou não casou, ou não tem filhos ou não cursou uma faculdade e etc? Se o seu caso é diferente, talvez você faça parte de um pequeno grupo que de fato não se importa com essas coisas, mas sim em viver feliz... 

Essa fase dos 30 é vista por mim, que já estou nela, como uma fase de ouro. Sim, exatamente isso! Nunca me senti tão livre, tão seguro  e tão jovem quanto agora! Embora as rugas cheguem, minha alma parece estar mais consciente, mais ativa, despreconceituosa, aberta ao novo e de bem com a vida. Não sei se isso é o tão sonhado "amadurecimento", também não me interessa, só sei que é bom viver isso! Vale aqui dizer que há todo um simbolismo em relação aos 30, isso fica nítido em relação a idade em que Cristo morreu, 33 anos e há uma historia oculta em relação a isto... Temos também o grau 33 da Maçonaria... Entre outras simbologias retratadas em varias tradições... Deve ser uma fase de ouro e eu digo sem medo de errar, vivo a melhor fase da minha vida!

Nessa fase acho que pressão social/familiar não pesa tanto. Que homem não sofreu por conta da maldita frase "homem não chora"? 

Muitos homens querem ser sensíveis sem serem chamados de "viados" (assim como muitas mulheres querem o direito de ficar com vários homens sem serem chamadas de "piranhas" - o que é muito justo, cada um vive sua vida como quiser). Pois bem, aos 30 meus amigo(as) você já pode chorar sem ser chamado de "viado" e sabe por que? Porque nessa fase da vida você não tem mais medo de nada, não precisa provar nada pra ninguém (ao menos não deveria). Se for "viado" se assumirá e se não for, saberá que não é, e tanto faz te chamarem por isso ou não, você não liga... Ta mais preocupado em viver a vida!

Cada ser enxerga a vida com seus olhos, então fica difícil dizer "faça isso", "faça aquilo", os conselhos são validos pra quem quer eles e não pra quem precisa deles. Viva a sua vida como você julgar sendo o melhor. Case, gradue-se, arrume um emprego, constitua família se isso te fará feliz, mas observe se isso é algo interno e não externo. Se possível não case porque sua família exerce pressão, isto te levará a se juntar com "qualquer pessoa" e a união estará fadada ao fracasso (logo você aparecerá num "programa da tarde" desses da vida, encenando um papel ridículo,  ao lado de um apresentador ridículo,  pra um publico ridículo). 

Eu levo minha vida da forma como acho que devo leva-la, não casei, não tenho filhos, não terminei a faculdade, não sou "viado" (e se fosse seria um viado assumido) e o mais importante, não me deixei levar pela pressão social! 

Não faço aqui uma propaganda contra estas tradições (casamento, bom emprego, filhos, estudos), elas são importantes sim! Mas como eu disse acima, desde que venha de você, uma pressão interna e não uma pressão externa (pressão social). 

Uma observação muito em conta é que atualmente a sociedade esta mais precoce, logo teremos aqui, em breve, não mais a "crise dos trinta", mas talvez a "crise dos vinte". 

Fraterno abraço!

Marcelo Montebras




quarta-feira, 17 de julho de 2013

Eduardo Marinho - Filosofo de Rua (3 videos)


Já havia publicado aqui um vídeo desse cara que simpatizo bastante e penso de forma parecido em muitos aspectos, agora posto mais três videos disponíveis no youtube que são ótimos para reflexão.

Marcadores: Politica, Filosofia, Autoconhecimento, Marxismo, Anarquia, Sociologia, Antropologia, Militarismo, Desobediência Civil, Protesto, Sabedoria, Historia de Vida.

Fraterno abraço!

Eduardo Marinho
Filosofo de Rua 

Eduardo Marinho
Falando sobre politica

Eduardo Marinho
Contando sua historia

"Eu conheci o Marxismo e achei ele ótimo, depois conheci os marxistas e achei eles péssimos"  - Eduardo Marinho 


domingo, 14 de julho de 2013

1 Ano de Sabedoria Café


Por: Marcelo Montebras

Dia 19 de Junho (quase um mês atras), este blog completou um ano de existência. Percebi que nestes trezentos e tantos dias, minha visão e percepção do mundo mudou bastante e isso é correto e aceitável  porque a vida é feita de experiencias e toda experiencia vem acompanhada de mudanças, logo se de uma hora pra outra eu passasse a pregar contra tudo o que escrevo aqui, correto eu estaria e isso não seria uma contradição (se é que me entendem).  

Relendo a primeira postagempude perceber que no meio de muitas mudanças, algo ainda se mantem intacto, é a minha opinião em relação a "Missão" de cada um. Ela continua sendo a mesma. 

Ninguém tem uma "missão" a ser cumprida aqui neste globo terra, temos sim, obrigações. O dito "Dever"

Um exemplo: quem tem o dom (se é que isto existe) de cantar, tem o dever de usar esse dom para bons propósitos  seja pra incentivar uma boa ação ou ate mesmo pra criticar o que esta errado numa sociedade, afim de que o erro seja corrigido. Lamentável é, a musica ser usada para fins escusos. 

Voltando a missão... A sua missão, a minha missão, a nossa missão é viver! O resto é apenas VAIDADE. 

Fraterno abraço.
Marcelo Montebras

Agradecimentos: Aos amigos (reais e virtuais - que são reais também), familiares, Sociedade Brasileira de Eubiose, Sociedade Teosofica, Rosacruz Max Heindel, Gnose Samaelica/samaeliana, Rosacruz Amorc, Trigueirinho, Jorge Antonio Oro, Eustáquio Andrea Patounas, Nilton Schutz, Fredi Jon, Carlos Torres, Osmar de Carvalho, Ricardo Maffia, Heitor Crisp, Sih Pelegrini, Aline Ferreira (Joiss Cannis), Ernani Eustaquio de Oliveira e aos 60 seguidores.  

Atenção: o blog "Sabedoria Café" NÃO POSSUI pagina no facebook. Há uma pagina criada por alguma pessoa, até com boa vontade, mas que não tem ligação direta com o blog, tampouco autorização pra publicar em seu nome. 



quarta-feira, 10 de julho de 2013

Tolerância ou Respeito?


Tolerância ou respeito?

A palavra da moda é "Tolerância", mas bem que poderia ser "Respeito"...

Ninguém é obrigado a tolerar nada, tudo que é tolerável é incomodo. Você só tolera algo porque é obrigado... Quanto ao respeito, ele deveria ser incentivado, promovido e cultivado da mesma forma como o fazem com a tolerância. É algo sublime e valoroso, que nos atenta a aceitar os seres, coisas e fatos da forma como eles são e por amor (amor fraternal, amor incondicional, amor verdadeiro. Não confundir com a tola paixão que é o "querer pra si").

Tolerância: é um termo que vem do latim "tolerare" que significa "suportar", "aceitar". A tolerância é o ato de indulgência perante algo que não se quer ou que não se pode impedir.

Respeito: A palavra respeito provém do latim respectus e significa “atenção” ou “consideração”. O respeito é um valor que permite que o homem possa reconhecer, aceitar, apreciar e valorizar as qualidades do próximo e os seus direitos. Por outras palavras, o respeito é o reconhecimento do valor próprio e dos direitos dos indivíduos e da sociedade.

Como dito antes, ninguém é obrigado a tolerar algo, PORÉM se o respeito ainda não é forte em você, então fique com a tolerância mesmo (provisoriamente, até atingir o respeito), já é um passo, é no minimo sinal de amadurecimento. 

Fraterno abraço!

Marcelo Montebras