terça-feira, 20 de novembro de 2012

Valores Humanos - Krishnamurti


Por: Canto Esotérico


Uma das peculiaridades do ser humano é o cultivo de valores. Desde criança, somos encorajados a estabelecer, para nós mesmos, certos valores que ficam profundamente enraizados. Cada pessoa tem suas próprias intenções e propostas duradouras. 

Naturalmente, os valores de um diferem dos valores de outro. Eles são cultivados pelo desejo ou pelo intelecto. Eles são ilusórios, confortantes, consoladores ou factuais. Esses valores, com certeza, encorajam a divisão entre os homens. Valores são nobres ou ignóbeis de acordo com os preconceitos ou intenções da pessoa. 

Sem fazer uma lista dos vários tipos de valores, por que os seres humanos têm valores e quais as suas consequências? O significado da raiz da palavra "valor" é "força". É a mesma raiz da palavra "valour", valentia. Força não é valor. Ela se transforma em valor, quando é o oposto de fraqueza. A força - não a força de caráter, que é resultado da pressão da Sociedade - é a essência da clareza; é o pensar claro, sem tendências e sem preconceitos; é a observação sem distorção. A força, ou valour, não é algo a ser cultivado, como você cultivaria uma nova espécie. Não é um resultado. Um resultado tem uma causa, e, quando existe uma causa, isso indica uma fraqueza; as consequências da fraqueza são resistência ou submissão. A clareza não tem causa. A clareza não é um efeito ou um resultado; é a pura observação do pensamento e toda a sua atividade. Essa clareza é força.

Se isso é claramente entendido, por que os seres humanos têm projetado valores? Será que é para servir como guias, em suas vidas diárias? Será que é para lhes dar um propósito, porque, do contrário, a vida ficaria incerta, vaga, sem direção? Mas a direção é estabelecida pelo intelecto ou pelo desejo, assim a própria direção torna-se uma distorção. Essas distorções variam de homem, para homem, e o ser humano agarra-se a ela no mar agitado da confusão. Podem ser observadas as consequências de se terem valores: eles separam o homem do homem, e colocam uma pessoa contra a outra. Em última instância, isso leva à infelicidade, à violência e, no fim, à guerra.

Os ideais são valores. Os ideais de qualquer tipo são uma série de valores - nacionais, religiosos, coletivos, pessoais -, e podem-se observar as consequências desses ideiais, enquanto vão acontecendo no mundo. Quando se vê a verdade disso, a mente está livre de todos os valores e, para essa mente, existe apenas clareza. Uma mente que deseja, ou se agarra a uma experiência, está no encalço da falácia do valor e assim torna-se fechada, reservada e criadora de divisão.

Link: Valores Humanos (Krishnamurti) - Canto Esoterico



Nenhum comentário:

Postar um comentário