quarta-feira, 11 de julho de 2012

Honestidade e inversão de valores nos dias atuais


Por: Marcelo Montebras


"Um casal de moradores de rua achou uma sacola com R$ 20 mil e devolveu o dinheiro à polícia. O dinheiro havia sido roubado de um restaurante japonês na zona leste de São Paulo. O catador de lixo Rejaniel Santos não imaginava que essa simples atitude poderia mudar a vida deles. (...) - A honestidade é uma coisa que não tem preço. A gente quer dar apoio e usar o exemplo deles como um fator multiplicador, para que a gente consiga usá-los como exemplo para todos os funcionários, enfim, para o Brasil inteiro, de que as pessoas precisam ser assim."


Reportagem do R7: 
http://noticias.r7.com/sao-paulo/noticias/restaurante-furtado-contrata-morador-de-rua-que-devolveu-r-20-mil-20120710.html 





Inversão de valores 


Noticias como esta costumam a ganhar uma repercussão gigantesca. Passamos a ver isto como algo surpreendente, especial e divino. De fato uma atitude gloriosa, porém não merecia tamanha atenção,  uma vez que esse tipo de coisa deveria ser comum e não uma aberração. 


Parece que estamos tão carentes de bons princípios, de valores reais, de ética e moral, que qualquer atitude digna é no minimo "Trending Topics" em todos os veículos de comunicação. Já percebeu que o "normal" na atualidade é ser malicioso, ser corrupto, ser individualista,  não ter consideração por ninguém e fazer valer os ditados "cada um por si", "salve-se quem puder" e "farinha pouca,meu pirão primeiro"? E na verdade o ideal é o tão formoso "um por todos e todos por um" (At Niat, Niatat).


Kali Yuga, a idade de Ferro


Bem, os esotéricos atribuem isto a "Kali Yuga", a idade de ferro citada nas escrituras hindus, onde  temos uma era de crescente degradação humana, cultural, social, ambiental e espiritual, sendo simbolicamente referida como Idade das Trevas. Um mergulho de cabeça na matéria. E se você parar para refletir verá que as pessoas estão muito mais presas a valores materiais como: Dinheiro, carro, roupa (Pra não falar em aparência física)... Também a "títulos de nobreza"como: Nome de Família, cargo, posição social, status... Isso faz a "Kali Yuga" ter total sentido.


O mundo é dos honestos


Voltando pra questão social, o casal que achou e entregou o dinheiro merece todo o reconhecimento por sua dignidade em faze-lo, um ato de nobreza, principio e desapego (uma vez que não caíram na tentação de ficar com  dinheiro, mesmo precisando), todavia precisamos alertar que isso não é pra ser visto como um ato isolado, mas sim algo comum... Algo comum que deve ser resgatado. A honestidade faz parte de nós, é inerente ao ser humano. Todos sabem o que é honestidade, não precisa dizer, porque ela vem da alma... O que não é da nossa natureza é essa inversão de valores onde o comum é ser corrupto, fazendo valer a lei do mais forte e sempre nos persuadindo da mentira mais deslavada que puderam inventar, a que diz que: "O mundo é dos espertos".


Honestidade


Honestidade, é uma qualidade de ser verdadeiro; não mentir, não fraudar, não enganar. A honestidade é a honra, uma  qualidade da pessoa, ou de uma instituição, significa falar a verdade, não omitir, não dissimular. O indivíduo que é honesto repudia a malandragem a esperteza de querer levar vantagem em tudo. 


Honestidade, de maneira explícita, é a obediência incondicional às regras morais existentes.Existem alguns procedimentos para alguns tipos de ações, que servem como guia, como referência para as decisões. Exercer a honestidade em caráter amplo, é muito difícil , porque existe as convenções sociais que nem sempre espelham a realidade, mas como estão formalizadas e enraizadas são tidas como certas.


Para muitos, a pessoa honesta é aquela que não mente, não furta, não rouba, vive uma vida honesta para ter alegria, paz, respeito dos outros e boas amizades. Atualmente, o conceito de honestidade está meio deturpado, uma vez que os indivíduos que agem corretamente são chamados de "careta", ou são humilhados por outros.
Fonte: http://www.significados.com.br/honestidade/




Honestidade no dicionário 

Clique na imagem para ampliar













Um comentário:

  1. Esse problema da honestidade resume-se numa coisa: a nossa humanidade ocidental toda está vivendo a última fase por que passam todas as humanidades (humanidades são uma coletividade de formas de Mônadas, vivendo e solidificando o seu processo de crescimento): a Kali Yuga. Portanto, vive, por força de tendências irrestíveis que afetam a todos (consequência da Yuga), um feroz Egocentrismo. Os valores espirituais, elevados são motivo de mofa, ou relegados a segundo plano num ambiente em que o "Ter" predomina tiranicamente sobre o "Ser". Aqueles espíritos que se mantêm, por força de seu esforço, no caminho do crescimento (e são poucos), portanto, chocam-se com a "falta de humanidade", enquanto a grande maioria a isto é indiferente, somente com a atenção voltada para si mesma.

    ResponderExcluir