sábado, 28 de julho de 2012

Cada um se torna o que já é


Por: Marcelo Montebras

"Poxa, me decepcionei com fulano... Pensei que ele fosse uma coisa, mas ele é outra".

Ouvimos este tipo de lamuria quase que todos os dias, simplesmente porque as pessoas depositam muitas expectativas nas outras. Bem, no geral somos assim, estamos sempre julgando as pessoas conforme nossos proprios valores, "eu acho errado o que ele fez... fulano não devia ter feito isso". Levando em consideração que somos falhos e que cada um enxerga o mundo com sua própria visão a respeito, logo essa atitude não tem razão pra existir, porém existe (e como existe). Por muitas vezes cometemos injustiças e esperamos, no mínimo, o perdão. Porém quando a injustiça é conosco, ai não, perdoar pra que? Então queremos "justiça" a qualquer preço e na verdade o que muitos querem não é justiça, mas sim vingança...

"Se você quer conhecer uma pessoa verdadeiramente, então dê poder a ela!"

O certo é que ninguém é o que não deve ser, cada um se torna aquilo que já é na sua essência, ou seja, uma hora ou outra a pessoa assume o que tem dentro de si, se é boa e está assumindo postura maligna então num determinado momento sua real personalidade aflora, o mesmo vale para o contrario, se é "lobo" e se passa por "cordeiro" uma hora a mascara cai. O poder é um dos grandes indicadores de caráter. 

Vejamos um exemplo: 

A pessoa era super amistosa, humilde e atenciosa quando entrou na sua empresa, tratava todo mundo muito bem e tudo mais. Um dia ela recebe uma promoção, então tudo muda! Como que num passe de magica ela se torna arrogante, antipatica, desatenciosa e outras aberrações. Qual vai ser o comentario dentro da empresa?... Vão dizer "fulano mudou muito, deixou o poder subir sua cabeça". É comum esse tipo de situação em que o sucesso, o dinheiro, o cargo, o poder "sobem a cabeça", como se isso fosse possível, faço uma aposta com quem quiser que isso é impossível! Acho até ingenuidade de quem acredita que poder, o dinheiro, o cargo, o sucesso e afins tenham poder sobre uma pessoa, não. Não tem mesmo! Volto a afirmar, ninguém é alguma coisa e de repente, do nada, se torna outra. Ninguém se transforma em nada que de fato não seja. Se o bandido mais cruel, se tornou uma pessoa boa e benevolente é porque no seu intimo ela era isso, porém por alguma motivo (que não me interessa) ela deixou transparecer durante um tempo que era má pessoa... Cada um se torna o que já é na sua essência. 

Hoje a humanidade, carente de si mesma, julga a tudo e a todos como heróis e vilões, é impressionante como todo mundo é culpado até que se prove o contrario! Essa mesma humanidade também pratica o contrario quando transforma todo mundo em  santo! Quando eu falo na humanidade, eu simplesmente to generalizando e me colocando no meio também, uma vez que ainda tenho muito e muito (muito mesmo) pra me melhorar. 

O correto é fazer o que os maiores sábios sempre nos aconselharam e que Jesus, o Cristo (já que "cristo" não é o sobrenome dele) deixou explicito em seu ensinamento: Não julgueis para não serdes julgado. Por isso muito cuidado com seus julgamentos, você dificilmente conhece a si mesmo(a) que dirá ao próximo, logo qualquer conceito a respeito do proximo é um conceito prévio, um preconceito. 

Fraterno abraço.


Nenhum comentário:

Postar um comentário